sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Mofoland Cortando os Pulsos

Amore, scusami
Música italiana é, desde a concepção, brega. Essa música me lembra Stevie Formoso, cantando “perdãããão, queee-rida... perdãããão, ah, viii-daaa...”. Mas eu gosto! É que nem pantufa: só se deixa de usar depois que o estado de conservação fica mais grave que a vergonha!


Um dia, um adeus
Guilherme Arantes é o cara, mas essa dói mais que bolada “nos dente” da boca do estômago!


Fio de cabelo
Minha mãe quis, certa feita, que eu tivesse o cabelo Chitão! Só de saber disso, já me assusto. Olha a cara do Júnior Lima, ali, tendo que viver essa experiência! E a Sandy, pobrezinha! Por isso casou com um cara que toca erudito!


Cadê você?
ODAIR JOSÉ! Feio, chato, pobre e cantava mal pra cachorro! Mas eu gosto...!


Pão de mel
Se não bastasse as diaristas, minha mãe (que não é mãe solteira nem empacotadeira) ouvia isso. Isso! Sempre imaginei que os cantores amarrassem uma cordinha no saco escrotal para cantar tão agudo. Descobri posteriormente que Zezé di Camargo costurava a calça ao corpo para se apresentar, isd est, eu estava certo! Não há como não ser diferente com tanto aiaiai!

Um comentário:

Lúcia Nikkel disse...

hahahahahaha
Caramba! Xitão e Xororó não poderiam faltar mesmo! Essa da pantufa é bem verdade, kkkkkkkk
Abração